Deleuze: o corpo como reversão filosófica

Imagem: Eadweard Muybridge (1830-1904)

Dê-me portanto um corpo: esta é a fórmula da reversão filosófica. O corpo não é mais o obstáculo que separa o pensamento de si mesmo, aquilo que deve superar para conseguir pensar. É, ao contrário, aquilo em que ele mergulha ou deve mergulhar, para atingir o impensado, isto é, a vida.”

Gilles Deleuze

Veja também:
Vida nua, vida besta, uma vida – por Por Peter Pál Pelbart
Neste blog:
Em busca do corpo anômalo
Visões de um corpo no chão
Um corpo que não representa
Em busca da vulnerabilidade – por Suely Rolnik

Por Luiz Carlos Garrocho

Artista cênico/performativo, filósofo, pesquisador e professor.

2 respostas em “Deleuze: o corpo como reversão filosófica”

olá, qual seu email? Gostaria de te mandar informações sobre a estréia do Vertigem com o zikzira e o LOT. Obrigada.
beijos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.